terça-feira, 22 de outubro de 2013

Crónica de Daniel Luís

Ontem, primeiro dia do mês de Junho, comemoraram-se não um, mas sim dois dias mundiais de grande relevância: o Dia Mundial da Criança e o Dia Mundial do Leite. Não é a toa que estes dias se comemoram na mesma data. Está mais que provada a importância do leite, quer na concepção de uma criança, quer na sua alimentação. E não estejam já para aí a chamar-me nomes escabrosos, porque um casal de adultos que queira praticar o coito para gerar uma nova vida, tem de beber leite para fortalecer e enrijecer os ossos.

Para assinalar esta láctea e pueril data, o espaço “Dissidências” do Correio do Minho tem a honra de publicar, num exclusivo mundial (e quiçá, galáctico) a entrevista conjunta realizada a Peter Pan e à vaca Cornélia:

Daniel Luís: Quero agradecer a vossa presença nesta data tão importante para a humanidade, pois como dizia Eugénio de Andrade, “Se há na Terra um reino que nos seja familiar e ao mesmo tempo estranho, fechado nos seus limites e simultaneamente sem fronteiras, esse reino é o da infância”.

Cornélia: E eu? Também quero uma citação… Muuuuuuu.

Daniel Luís: Não seja por isso: “Se há na Terra um reino que nos alimente e, ao mesmo tempo, nos dê noites de luxúria e prazer, esse reino é o das vacas”, by moi même.

Cornélia: Obrigado. Já me sinto mais confortável.

Daniel Luís: Sente-se confortável porque o Peter Pan lhe está a puxar as tetas. Pára já com isso seu fedelho! Já tens idade para ter juízo!

Peter Pan: Idade eu? Juízo? Mas drogas-te ou quê? Então não sabes que eu sou um pequeno rapazinho?

Daniel Luís: Podemos começar precisamente por esse ponto. Porque é que, apesar dos teus 108 anos de idade, te recusas a crescer?

Peter Pan: Porque ser adulto é muito aborrecido… ter que trabalhar, ter que pagar impostos e, principalmente, ter que ver o “Prós & Contras” da Fátima Campos Ferreira… que horror.

Daniel Luís: E aposto que se fosses adulto, sentirias também a falta das tuas aventuras mágicas, certo?

Peter Pan: Isso não me preocupa. Pelo que vejo, muitos adultos vivem aventuras mágicas, principalmente os governantes do PS… que vivem aventuras mágicas com TGV’s e com aeroportos, num país à beira da bancarrota.

Daniel Luís: Muito bem observado para uma criança. E a vaca Cornélia o que tem a dizer sobre o Dia Mundial do Leite?

Cornélia: Na minha qual idade de bovina, penso que os direitos das vacas leiteiras não têm sido devidamente salvaguardados.

Daniel Luís: Quer explicar melhor?

Cornélia: Acho uma crueldade sermos mungidas com aparelhos de sucção eléctrica. E a culpa é do Cavaco Silva porque disse que nós tínhamos prazer com esses aparelhos. O Presidente da República não pode generalizar estas coisas. Se a vaca do Cavaco gosta de ser sugada por aparelhos, o problema é dela. Quanto mais não valem umas mãos habilidosas a acariciar as nossas tetas… Muuuuuuu…

Daniel Luís: Está a querer dizer que as vacas não se importam de dar leite aos homens, desde que os homens lhes dêem prazer ao extrair o leite?

Cornélia: Exactamente! Se querem leite, que sejam meiguinhos connosco. Eu até acho que em vez do Dia Mundial do Leite, deveria ser instituído o Dia Mundial das Vacas, porque sem vacas, este mundo não tem piada… Muuuuu…

Daniel Luís: Menino Peter Pan, é mesmo assim como diz a Cornélia? Conseguias viver num mundo sem vacas?

Peter Pan: Se eu conseguia viver sem vacas? Conseguir, conseguia, mas não era a mesma coisa… Adoro apertar as tetas das vacas...

Daniel Luís: Suponho então que gostas muito de leite. Preferes o leite ultrapasteurizado de pacote ou o leite do dia?

Peter Pan: Estás a brincar comigo ou quê? Eu bebo leite directamente da teta da vaca.

Daniel Luís: E as vacas deixam?

Peter Pan: Claro que sim! É a vantagem de ser uma criança fofinha. Se eu fosse adulto, provavelmente as vacas já não me deixariam mamar nas suas tetas.

Daniel Luís: Não sei não. Olha que és capaz de estar bem enganado, meu rapaz. Para concluir esta entrevista, gostaria que dissessem o que vos apetecer.

Peter Pan: Eu não gostaria de ser adoptado por um casal gay, mas adorava ser adoptado por um casal de lésbicas porque adoro puxar tetas. Que cheiro! Quem foi que se peidou?

Cornélia: Opppsss… fui eu. Desculpem-me, mas tenho que me peidar 300 vezes por dia. Sou vaca…
Daniel Luís: Ok, tudo bem. O que gostaria de dizer, Cornélia, para terminar esta entrevista?

Cornélia: Eu gostaria muito que a revista “Vacavisão” fosse reeditada e gostava também de ter um jantar romântico com o José Cid.

Nota final dirigida ao estimado leitor: Directamente da teta da vaca ou através de um pacote nada sexy, cuide dos seus ossos. Beba leite à bruta! Muuuu…

Daniel Luís / Correio do Minho

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A.

Sem comentários:

Enviar um comentário